SIDEBAR
»
S
I
D
E
B
A
R
«
INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS
fev 14th, 2019 by Magdalves

A cada 15 dias, tenho colocado neste Blog um texto de reflexão, uma grande parte deles tematizando a realidade das pessoas em situação de rua e a Política voltada para este segmento.

O texto de hoje é um pouco diferente. Montei arquivos com Referências Bibliográficas, classificadas por sub-temas de modo a facilitar o acesso a estudos os mais interessantes. Os textos de minha autoria não se encontram nestas listas pois são encontrados neste mesmo Blog.

A maioria destes textos é facilmente encontrável na internet. Para aqueles que considero mais difíceis as pesquisas, coloquei um link.

Se você estiver procurando algum deles e tiver dificuldades, faça contato comigo que procurarei te ajudar.

Referências Bibliográficas Poprua

O SISTEMA S NA ÓTICA DO COMPROMISSO COM A REALIDADE BRASILEIRA
jan 30th, 2019 by Magdalves

Quando alguma coisa ameaça ações que estão dando certo no País, nós precisamos nos mobilizar para impedir que essa ameaça se concretize.

Nosso novo Presidente da República vem falando em restringir os recursos do Sistema  , e isso me levou a refletir sobre o significado de algumas das ações que podem estar em perigo. Vejam:

COMPROMISSO COM O DESENVOLVIMENTO DO BRASIL

As organizações do Sistema S tem estado presentes nos fóruns de discussão de desenvolvimento brasileiro, onde sua presença é bastante significativa, como se pode ver pelos exemplos abaixo.

 

MESA BRASIL – PIONEIRISMO EM BANCO DE ALIMENTOS

Em 1993, quando Herbert de Souza, o Betinho, provocou a sociedade brasileira para que assumisse um papel ativo no enfrentamento à Fome que era a realidade de 32 milhões de brasileiros, o SESC aceitou o desafio de compor uma Frente de Organizações voltadas para o combate à Insegurança Alimentar.

Dessa parceria, nasceram parcerias entre produtores de alimentos e organizações sociais, numa proposta de reaproveitamento de sobras de alimentos que é a semente do que hoje chamamos de Bancos de Alimentos.

A ação do Mesa São Paulo, que mais tarde se transformou em Mesa Brasil é uma proposta de coleta de alimentos, próximos da data de vencimento, para reaproveitamento imediato em refeições a serem disponibilizadas a quem tem fome.

FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Na Indústria

SESI  e SENAI são referências na educação de crianças, jovens e adultos, assim como atuam na inserção no Mercado de Trabalho e na Qualidade de vida do Trabalhador e seus dependentes.

Segundo dados contidos no site da CNI, “desde 1942, o SENAI já qualificou mais de 73 milhões de brasileiros e atualmente recebe 2,4 milhões de matrículas ao ano.  O SESI possui cerca de 1,5 milhão de alunos matriculados em educação e atende ao ano 4 milhões de trabalhadores em serviços de saúde e segurança do trabalho”.

É consenso na sociedade que estes serviços são de primeira qualidade e 80% dos egressos do SENAI são contratados imediatamente após a formação profissional. Isso contribui para superar os desafios da má qualidade da educação brasileira.

O SENAI é um dos cinco maiores complexos de educação profissional do mundo e o maior da América Latina. Seus cursos formam profissionais para 28 áreas da indústria brasileira, desde a iniciação profissional até a graduação e pós-graduação tecnológica.

As ações de qualificação profissional realizadas pelo SENAI formaram 73,7 milhões de trabalhadores em todo o território nacional, desde 1942. Esse resultado só foi possível porque o SENAI aposta em formatos educacionais diferenciados e inovadores, que vão além do tradicional modelo de educação presencial, em suas 541 unidades fixas e 452 unidades móveis em 1,6 mil municípios brasileiros. O SENAI também capacita e forma profissionais em cursos a distância, que estão à disposição do estudante 24 horas por dia, sete dias por semana.

PRONATEC Poprua

O PRONATEC – Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, criado pelo governo federal, e objetiva ampliar a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica. Oferece ainda: Vale transporte, alimentação, Certificado de conclusão dos Cursos.

Em 2013, a partir de uma parceria com a Prefeitura de São Paulo foi criado o PRONATEC PopRua, visando  potencializar o PRONATEC ampliando as oportunidades de inserção destas pessoas no mundo do trabalho. Além dos Cursos, a proposta articula uma Rede de serviços incluindo empresas para ampliar o acesso dos alunos ao mundo do trabalho. Além disso, o acompanhamento dos usuários é personalizado e ampliado por uma formação complementar para a inserção no mercado de trabalho.

 

Os Cursos preparam  Porteiros, Zeladores, Auxiliares de Limpeza, Jardineiros, Eletricistas, Mecânicos, Soldadores, Pintores, Pedreiros, Almoxarifes, Auxiliares A?dministrativos, Auxiliares de Lavanderia, Padeiros, etc..

Esta Proposta foi reconhecida nacional e internacionalmente, como se vê pelas informações abaixo.

2013: PRONATEC POPRUA foi uma das 4 iniciativas vencedoras do Prêmio Rosani Cunha de Desenvolvimento Social. Prêmio impulsionou o Governo Federal na criação na modalidade exclusiva PopRua para todo o país.

2014: PRONATEC POPRUA foi uma das 150 selecionadas para ser apresentada – entre outras 600 experiências – no XIII Congresso da Associação Internacional de Cidades Educadoras em 2014. Experiência publicada no Banco Internacional de Cidades Educadoras.

Você vai ficar quieto enquanto isso acontece?

Veja uma reflexão a respeito em http://mmaconsultoria.com/?page_id=3153&preview=true

OPORTUNIDADES NA TERRA DOS CONTRASTES OS 464 ANOS DE SAMPA
jan 15th, 2019 by Magdalves

Cidade da Indústria, São Paulo é a maior economia do Brasil, a maior cidade da América Latina. Quem analisa a economia da cidade, em seu vigor que cresce dia a  dia, fica maravilhado com tanto sucesso. A Elite paulistana consegue viver uma realidade de primeiro mundo e acredita que o futuro a ela pertence com muito sucesso e riqueza infinda. Dados estatísticos permitem afirmar que seis pessoas possuem riqueza equivalente ao patrimônio dos 100 milhões de brasileiros mais pobres.

São Paulo também é a cidade da miséria, já que dos seus 10 milhões de habitantes, amargam uma realidade de desemprego, falta de moradia e dificuldades de acesso a bens e serviços básicos.

Favelas, cortiços e pessoas em situação de rua são o cenário deste outro lado da grande metrópole. Muitos destes “filhos” vieram para esta cidade em busca de trabalho, afinal o discurso diz que “basta ser bom para se vencer na vida”. Dentre estes filhos adotivos, temos 150 estrangeiros, muitos dos quais vieram em busca de proteção em virtude de situações de guerra em seus locais de origem, outros vieram iludidos com a pujança do grande Capital que promete sucesso para todos.

Há dois séculos, somos considerados um dos maiores núcleos políticos do país e centro nevrálgico de sua economia, situação que começou no ciclo do café e perdura até hoje. Não podemos negar o mérito destes trabalhadores que escolheram esta terra e aqui fizeram morada.

GOLDSMITH, prefaciando KOWARICK aponta que além do progresso e da miséria, São Paulo apresenta uma outra  característica que é ser uma cidade da Resistência.

 

“Em1984, após vinte anos de regime militar, um milhão de pessoas tomou as ruas para exigir mudanças. Seu brado por “Diretas Já!” continha um significado triplo evidente – direitos civis, direitos humanos e eleições diretas, já! O esforço conjugado de trabalhadores sindicalizados e organizações de bairros de São Paulo foi parte de um movimento político nacional.”[1]

Começamos 2019, num contexto   preocupante na medida em que a população brasileira e a  paulista nos brindaram com governantes que apontam para outro modo de conduzir  a gestão pública.

Participação Social que vem sendo uma tônica há décadas começa a ser rechaçada   por um discurso que pretende  falar em nome de todos os brasileiros, calando a única voz que pode nos dar parâmetros para o que deve ser feito que é a voz do povo.

Em nome da ordem e da segurança, avalizam-se ações truculentas  dos  policiais que  podem gerar tragédias cotidianas.

O discurso de enfrentamento à corrupção mostra-se frágil na medida em que muitos dos escolhidos para comporem estes governos tem “ficha suja” com processos abertos buscando verificar estes ocorridos e isso nem causa espécie entre eles.

Em nome de uma economia de recursos, jogam sobre os ombros dos funcionários públicos um encargo ainda maior, sem nem ao menos corarem ao se apontar que para outros segmentos políticos os cordões da bolsa são ainda mais lassos.

Vamos refletir sobre isso? Veja em   http://mmaconsultoria.com/?page_id=3139&preview=true

[1][1] KOWARICK’, Lúcio (0rg) – São Paulo Passado e Presente: as lutas sociais e a cidade, Paz e Terra, 1994, 2ª edição.

»  Substance: WordPress   »  Style: Ahren Ahimsa