SIDEBAR
»
S
I
D
E
B
A
R
«
CARNAVAL: FOLIA E GERAÇÃO DE TRABALHO E RENDA
fev 14th, 2018 by Magdalves

Podemos afirmar, sem medo de errar, que Carnaval é um acontecimento na vida dos brasileiros e tem reflexos em diversos setores econômicos como a hotelaria, turismo, artesanato e até mesmo no emprego de profissionais qualificados como arquitetos, engenheiros elétricos, especialistas em moda, historiadores e outros.

O Carnaval não é apenas folia e descanso e sua influência econômica se estende a setores como a venda de alimentos e bebidas, o comércio e os bares e restaurantes, sendo um período do ano que gera emprego e rendas extras em diferentes regiões do Brasil.

Meses antes dos marcados pela folia, amplia-se o número de trabalhadores permanentes e temporários que se ocupam para dar conta do brilho esperado de blocos, trios elétricos e escolas de samba

Para 2018, a Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizados e Trabalho Temporário (Asserttem) apontam que estas festas espalhadas pelo País geram milhares de empregos temporários..

Costureiras, aderecistas e marceneiros se somam a vendedores, recepcionistas, atendentes, garçons, motoristas e auxiliares de serviços gerais para dar conta da preparação dos grupos e da recepção dos turistas e veranistas.

O texto integral você encontra em http://mmaconsultoria.com/?page_id=2982&preview=true

O ACESSUAS E AS FRENTES DE TRABALHO NA BUSCA DA EMANCIPAÇÃO
jun 14th, 2015 by Magdalves

Dentre outras ações profissionais, o MDS – Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome propõe uma ação voltada para a potencialização de famílias vulnerabilizadas ao Mundo do Trabalho: o ACESSUAS – Programa de Promoção do Acesso  ao Mundo do Trabalho.

A principal estratégia deste Programa é articular transferência de renda monetária com o acesso a serviços e a inclusão produtiva.

Nesta leitura, a Assistência Social é convocada a acolher demandas, mobilizar e garantir direitos e ser a voz da população em vulnerabilidade. Para isso, deve partir da identificação das capacidades e potencialidades dos usuários, fortalecendo seu protagonismo na busca de direitos em espaços de integração relacionados ao mundo do trabalho, atuando ainda no resgate da autoestima na construção de sua autonomia pessoal, familiar e social.

Ainda que a integração ao Mundo do Trabalho não seja tarefa exclusiva da Assistência Social, este Programa objetiva “a integração dos usuários da assistência social ao mundo do trabalho, por meio de ações articuladas e mobilização social”.

Esta situação de desemprego coloca um contingente significativo de trabalhadores à margem da atividade produtiva. Por um lado isso é um desperdício de potencial que o país poderia utilizar, e de outro é uma das piores formas de exclusão social.

Em virtude destas altas taxas de desemprego existentes desde a década de 90, estados e municípios passaram a construir estratégias de trabalho emergencial de caráter temporário que ao mesmo tempo em que respondiam a necessidades de mão de obra braçal, serviam como um alívio à fome e à miséria de muitas famílias.

Neste texto pretendemos refletir estratégias para que estes caminhos, de fato, contribuam para a emancipação destes trabalhadores. O texto integral você encontra em http://mmaconsultoria.com/?page_id=2353.

TRABALHO E DESEMPREGO – 10 textos
jan 18th, 2014 by Magdalves

O ACESSUAS E AS FRENTES DE TRABALHO NA BUSCA DA EMANCIPAÇÃO

Em virtude destas altas taxas de desemprego existentes desde a década de 90, estados e municípios passaram a construir estratégias de trabalho emergencial de caráter temporário que ao mesmo tempo em que respondiam a necessidades de mão de obra braçal, serviam como um alívio à fome e à miséria de muitas famílias.

Neste texto pretendemos refletir estratégias para que estes caminhos, de fato, contribuam para a emancipação destes trabalhadores. O texto integral você encontra em http://mmaconsultoria.com/?page_id=2353.

 

TRABALHADOR/EMPRESÁRIO, EMPRESÁRIO/TRABALHADOR: UM COTIDIANO CONSTRUÍDO PASSO A PASSO – Tese apresentada para obtenção do título de Doutor em Serviço Social (2001) baseia-se numa experiência de geração emprego,  trabalho e renda desenvolvida por trabalhadores do setor calçadista de Birigui. A questão norteadora do estudo pode ser entendida como a busca de elementos que permitam identificar se é possível à classe trabalhadora organizar-se dentro do sistema capitalista sem reproduzir as mazelas da forma mais contundente da relação capital/trabalho. Você pode encontrá-la na Biblioteca da PUCSP ou no http://mmaconsultoria.com/wp-content/uploads/2012/08/Tese.pdf

A ANTEAG E A AUTOGESTÃO  DO PONTO DE VISTA DOS TRABALHADORES – Assumindo o controle de empresas que estavam encerrando as atividades, trabalhadores evitaram o desemprego e demonstraram a força de sua organização. Publicado em Redução da Pobreza e Dinâmicas Locais, organizadores Ilka Camarotti e Peter Spink – Rio de Janeiro: Editora FGV, 2001, e que você pode conseguir  no http://www.editora.fgv.br/?sub=produto&id=276 

A ASSISTÊNCIA SOCIAL E O ENFRENTAMENTO AO DESEMPREGO – A  única maneira de reverter a situação de desemprego que assola o país é superar a dicotomia entre Desenvolvimento Econômico e Desenvolvimento Social através de uma maior articulação entre as políticas de modo a gerar uma redistribuição de renda voltada para uma maior justiça social.  Este texto foi publicado no Caderno de Comunicações – CBAS/SP, em 1998, e você pode localizá-lo no http://mmaconsultoria.com/?page_id=120

DRAGÃO DO DESEMPREGO –  Num país com 20 milhões de sub-trabalhadores e onde 2 milhões de crianças entre 10 e 13 anos trabalham, qual é a proposta feita pela sociedade civil através da Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida? – Texto publicado em Juventude Trabalhadora, ano IV, nº.  24 , SP, abril/maio de 1994 e que você encontra no http://mmaconsultoria.com/?page_id=122

O TRABALHO DAS PESSOAS EM SITUAÇÃO DE RUA – Em 30 de julho de 2012, publiquei no webartigos.com este texto que reflete sobre as dificuldades de pessoas em situação de rua retornarem ao mercado de trabalho e qual poderia ser nosso papel nisso. Você também pode acessá-lo em http://mmaconsultoria.com/?page_id=54

ESMAGADOS PELA DISCRIMINAÇÃO – A ambiguidade da reação da sociedade na relação com pessoas em situação de rua. Enxotados por causa da sua situação de desocupação num país onde o numero de desempregados supera a casa do milhão. Texto publicado, em 1989, pela AGEN, Agência de Notícias vinculada à Arquidiocese São Paulo, e você o encontra no http://mmaconsultoria.com/?page_id=266

AS CONDIÇÕES DE TRABALHO DAS PESSOAS EM SITUAÇÃO DE RUA. Em 30 de julho, publiquei no web artigos este texto que reflete sobre as dificuldades de pessoas em situação de rua retornarem ao mercado de trabalho e qual poderia ser nosso papel nisso. Você também pode acessá-lo em http://mmaconsultoria.com/?page_id=54

Vocês sabiam que foi feita uma ação de conscientização por Reforma Agrária entre pessoas em situação de rua e alguns aderiram e hoje são agricultores familiares?  Escrevi sobre isso e postei no web artigos.  Você pode encontrar o texto em webartigos.com ou aqui mesmo em http://mmaconsultoria.com/?page_id=653

O DIREITO AO TRABALHO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIAS E EM SITUAÇÃO DE RUA – O Brasil é considerado um dos campeões em população com deficiência e, no censo de 2010, o IBGE apontou que são 31,5 milhões os brasileiros com algum tipo de incapacidade intelectual ou para ver, ouvir ou se locomover. A efetivação de estratégias de inclusão destas pessoas em situação de rua pede, num primeiro momento que sejam identificadas políticas, programas e projetos que se encontram em andamento voltadas para as demais pessoas com deficiência que não se encontram em situação de rua. Convido você para dar uma olhadinha no que comecei a esboçar [http://mmaconsultoria.com/?page_id=919 ] e vamos construir juntos uma proposta. Espero você.

»  Substance: WordPress   »  Style: Ahren Ahimsa